Compreensão de textos expositivos: quanto valem as imagens ou os esquemas?

A.F. Pires, M. Amaral, P. Salvador, G. Bidarra, P. Vaz Rebelo

Resumen


Tendo com referência evidências de que as caraterísticas dos textos podem influenciar a compreensão dos mesmos (Mayer, 2009; Otero, 2009), este estudo teve como principal objetivo analisar a influência de características do texto expositivo, nomeadamente a integração de imagens e de esquemas, no seu interesse e compreensão. Para o efeito, foi considerado um texto expositivo em três versões, texto expositivo simples, texto expositivo com esquema e texto expositivo com imagens.
Participaram 69 alunos do 2º ciclo do ensino básico de uma escola da região centro de Portugal, com idades entre os 10 e os 16 anos, 38 do sexo masculino e 31 do sexo feminino. Foi usado um inquérito que incluía questões relacionadas com o interesse e a motivação durante a leitura do texto e perguntas de compreensão sobre o mesmo. Os resultados mostraram que o texto expositivo com imagens é o que obtém níveis mais elevados de interesse e compreensão.


Palabras clave


compreensão de texto; imagens; esquemas

Texto completo:

PDF (Português (Portugal))

Referencias


Festas, I. (2011). Compreensão de textos e métodos ativos. Revista Portuguesa de Pedagogia. Extra- Série, 2011, 225-233. Acedido a 23 de agosto 2018, em: http://impactumjournals.uc.pt/rppedagogia/article/view/1318/766

Johnson-Laird, P. N. (1983). Mental Models: Towards a Cognitive Science of Language, Inference, and Consciousness. Cambridge, MA: Harvard University Press.

Mayer, R. (2009). Multimedia Learning. (2ª ed.). Universidade de Califórnia, Santa Barbara: Cambridge University Press.

Goméz, A. (2001). La señalización y el recuerdo de textos expositivos y su organización Tarbiya. Revista de Investigación e Innovación Educativa, estudios y experiencia, 27, 77-98. ISSN 1132-6239

Otero, J. (2009). Question generation and anomaly detection in texts. In D. Hacker, J. Dunlosky, & A. Graesser (Eds.) Handbook of Metacognition in Education. Routledge.

Van Dijk, T. A., & Kintsch, W. (1983). Strategies of Discourse Comprehension. New York Academic Press.




DOI: https://doi.org/10.17060/ijodaep.2019.n2.v1.1709 Statistics: Resumen : 61 views. PDF (Português (Portugal)) : 34 views.  

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Copyright (c) 2019 A.F. Pires, M. Amaral, P. Salvador, G. Bidarra, P. Vaz Rebelo

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-SinObraDerivada 4.0 Internacional.

"International Journal of Developmental and Educational Psychology."

Revista Infad de Psicología.

ISSN digital: 2603-5987

ISSN impreso: 0214-9877