Engajamento e aprendizagem de crianças em oficinas "movimento de brinquedos" no 1º ciclo de escola

A. Santos, Piedade Vaz Rebelo, O. Thiel, G. Bidarra, V. Alferes, J. Almeida, C. Barreira, I. Machado, F. Rabaça, M. D Dias, P. Pereira, N. Catré, F. Ferrini, C. Bartolleti, J. Josephson, N. Kostova

Resumen


A motivação e interesse de crianças e jovens por áreas de ciências continua a ser um desafio da educação contemporânea, existindo também evidências da importância da sua promoção desde os anos inicias de escolaridade e do recurso a abordagens interdisciplinares. O projeto Erasmus+ AutoSTEM visa analisar o potencial da construção de autómatos ou “brinquedos que mexem” como estratégia de motivação para a aprendizagem em áreas de ciências, tecnologia, engenharia e matemática (CTEM), nos anos iniciais de escolaridade. As caraterísticas dos autómatos, nomeadamente o facto de serem constituídos por uma narrativa, e um mecanismo permitem que, numa abordagem lúdica, atividades relacionadas com a planificação e construção dos referidos brinquedos, potenciem competências como a observação, a resolução de problemas, criatividade e também competências nas referidas áreas CTEM. Neste trabalho, são descritas a implementação e avaliação de oficinas de construção de brinquedos no 1º ano do ensino básico. A recolha de dadosenvolveu a observação diretaincidindo em dimensões do envolvimento e num questionário, incidindo no interesse, aprendizagens, dificuldades, sugestões de melhoria. Os resultados evidenciam a curiosidade das crianças pelos protótipos apresentados, tendo desde logo elaborado o seu próprio projeto, explorado materiais e concretizado a construção, em alguns casos com propostas próprias. As dificuldades percebidas variam em função da idade, o mesmo se verificando com o tipo de mecanismo escolhido


Palabras clave


automata; STEM; envolvimento; aprendizagem

Texto completo:

PDF (English)

Referencias


Gonçalves, S. S. B. (2018). Envolvimento do aluno na escola, perceção de apoio familiar e desempenho escolar. Mestrado em Psicologia da Educação. Universidade da Madeira.

Ryan, R. M., & Deci, E. L. (2000). Intrinsic and extrinsic motivations: Classic definitions and new directions. Contemporary educational psychology, 25(1), 54-67.

Veiga, F. H., Carvalho, C., Almeida, A., Taveira, C., Janeiro, I., Baía, S., Festas, I., Nogueira, J., Melo, M., & Caldeira, S. (2012). Students’ engagement in schools: differentiation and promotion In M. F. Patrício, L. Sebastião, J. M. Justo, & J. Bonito (Eds.). Da Exclusão à Excelência: Caminhos Organizacionais para a Qualidade da Educação (pp. 117-123). Montargil: Associação da Educação Pluridimensional e Escola Cultural.




DOI: https://doi.org/10.17060/ijodaep.2020.n1.v2.1820 Statistics: Resumen : 82 views. PDF (English) : 53 views.  

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Copyright (c) 2020 A. Santos, Piedade Vaz Rebelo, O. Thiel, G. Bidarra, V. Alferes, J. Almeida, C. Barreira, I. Machado, F. Rabaça, M. D Dias, P. Pereira, N. Catré, F. Ferrini, C. Bartolleti, J. Josephson, N. Kostova

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-SinObraDerivada 4.0 Internacional.

"International Journal of Developmental and Educational Psychology."

Revista Infad de Psicología.

ISSN digital: 2603-5987

ISSN impreso: 0214-9877