Condutas agressivas, bullying e integração social em crianças em idade escolar

María José Martins, Marli Silva

Resumen


Nos últimos anos, quer os comportamentos agressivos, quer o bullying têm vindo a constituir uma crescente preocupação para a comunidade educativa. Tem havido muita investigação sobre este fenómeno mas a maioria tem incidido em escolas situadas em contextos urbanos. Os objetivos da investigação que se apresenta foram: Obter dados que permitam conhecer o tipo e a frequência de bullying em crianças, bem como identificar quais os locais mais frequentes onde ocorre numa escola situada numa zona rural. Conhecer qual a relação entre a integração social no grupo de pares (através do estatuto sociométrico) e os vários padrões de comportamento social, nomeadamente comportamentos pró-sociais, liderança, isolamento social e, em particular, agressão e vitimação (quer na perspetiva do próprio, quer na perspetiva dos pares). Deste modo, dois questionários foram aplicados a 87 crianças: uma adaptação do questionário de autorrelato sobre agressividade entre alunos na escola (QAEANE) de Pereira (1994) (composto por 10 perguntas, relativas às ocorrências de bullying, na perspetiva da vítima e do agressor, bem como sobre os locais em que ocorre); e um questionário de heterorrelato, isto é, de nomeação de pares (QNP), composto por duas partes: a primeira com 4 perguntas que estuda a sociometria (índices de preferências e rejeições) e a segunda com 5 perguntas permitindo estudar os atributos percebidos pelos colegas (agressão; isolamento social; liderança; conduta pró-social e vitimação). Os resultados permitiram concluir que o bullying também ocorre em zonas rurais mas de forma bastante menos frequente quando se compara com os dados de Pereira (2008) obtidos em zonas urbanas e que o local mais frequente onde ocorre é o recreio. Verificou-se ainda que quer os agressores, quer as vítimas são mais rejeitados pelos pares do que os não envolvidos. Discutem-se algumas formas de prevenção destes comportamentos no 1.º ciclo do ensino básico.


Palabras clave


Bullying; agressão; vimação; integração social

Texto completo:

PDF (Português (Portugal))

Referencias


Anderson, C. & Bushman, B. (2002). Human aggression. Annual Review of Psychology. 53, 27-51.

Bjorkquist, K. & Osterman, K. (1999). Finland. In P. Smith, Y. Morita, J Junger-Tas, D. Olweus, R.

Catalano & P. Slee (Eds.), The Nature of School Bullying. A cross-national perspective. London: Routledge.

Coie, J. D., & Dodge, K. (1998). Aggression and antisocial behaviour In W. Damon & N. Eisenberg. Handbook of Child Psychology. Social and Emotional, and Personal Development. vol. 3 5ed. New York: John Wiley & Sons.

Martins, M. J. D. (2007). Violência interpessoal e maus-tratos entre pares, em contexto escolar. Revista de Educação, XV, 2, 51-78. Disponível em: http://revista.educ.fc.ul.pt/

Martins, M. J. D. (2009). Maus tratos entre adolescentes na escola. Penafiel: Editora Novembro.

Martins, M. J. D. (2011). Prevenção da indisciplina, da violência e do bullying nas escolas. Proforma. 3, 1-6. Disponível on-line em http://www.cefopna.edu.pt/revista/revista_03/pdf_03/es_01a_03.pdf

Martins, M. J. D. & Branquinho, M. J. (2008). Avaliação e intervenção educativa com vista à promoção da convivência social positiva entre crianças. Egitanea Sciencia, 3, 47-59.

Martins, M. J. D. & Vicente Castro, F. (2010). How is social competence related to aggression and victimization in school? International Journal of Developmental and Educational Psychology. XII, 1, 3, 305-315.

Olweus, D. (1995). Bullying at school. What we know and what we can do. Oxford: Blackwell.

Olweus, D. (1997). Bully/victim problems in school: facts and intervention. European Journal of Psychology of Education, XII, 4, 495-511.

Olweus, D. & Limber, S. (Orgs) (2007). Olweus bullying prevention program. School guide. Center City: Hazelden.

Pellegrini, A., D. & Bartini, M. (2000). An empirical comparison of methods of sampling aggression and victimization in school settings. Journal of Educational Psychology, 92, 2, 360-366.

Pereira, B. (2008). Para uma escola sem violência, Estudo e prevenção das práticas agressivas entre crianças. 2.ª Ed. Porto: Fundação Calouste Gulbenkian, Fundação para a ciência e a tecnologia, Ministério da Ciência e da Tecnologia.

Pereira, B.; Sousa, R., & Lourenço, L. M. (2011). O bullying, locais e representações dos recreios. Estudo com crianças de uma escola básica de 5.º e 6.º anos. Bullying Conhecer e Intervir. Editora UFJF: pp. 33-49.

Ramírez, F. C. (2001). Condutas agressivas na idade escolar. Lisboa: Mcgraw-hill.




DOI: https://doi.org/10.17060/ijodaep.2014.n1.v1.397 Statistics: Resumen : 360 views. PDF (Português (Portugal)) : 195 views.  

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Copyright (c) 2014 María José Martins, Marli Silva

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-SinObraDerivada 4.0 Internacional.

"International Journal of Developmental and Educational Psychology."

Revista Infad de Psicología.

ISSN digital: 2603-5987

ISSN impreso: 0214-9877