Fatores destacáveis na satisfação com a vida em idosos portugueses: (estudo de caso num centro de dia em Castelo Branco)

Ernesto Martins Candeias

Resumen


O fenómeno do envelhecimento é abordado por várias áreas científicas, já que o ‘envelhecer’ e a velhice’ são realidades heterogéneas que variam devido a vários fatores desenvolvidos na trajetória/ estilos de vida. Sabemos que os estudos demonstram que o ‘bem-estar subjetivo’ constitui um fator hierárquico e multidimensional, que integra a perceção avaliativa (natureza cognitiva e emocional) do indivíduo sobre a sua vida. Há uma associação entre as dimensões físicas e psicológicas e os níveis de satisfação com a vida entre os idosos. Os objetivos avaliar a satisfação com a vida de idosos de um centro de dia de Castelo Branco, a partir da aplicação da ‘escala de satisfação com a vida –ESV’; averiguar a existência de associação entre fatores na satisfação/qualidade de vida. A metodologia do estudo é quantitativa descritiva/correlacional. A amostra (n= 22) inclui os idosos dessa instituição urbana (M=15; H=7), com nível de independência/autonomia ou com dependência leve, com uma média de idade de 78, 95 anos. As técnicas foram a ESV de Diener et al., observações participantes, entrevista ‘focus group’ sobre o tema da qualidade de vida no envelhecimento (análise de conteúdo), análise documental à instituição e notas de campo. Adotamos o tratamento estatístico do programa SPSS 17.0. Os resultados mostram alguns elementos da escala (ideal de vida, condições, não mudaria as ações do passado), havendo uma associação entre a idade e condições de vida, não mudando a maioria dos idosos as ações realizadas no passado.


Palabras clave


calidad de vida; ancianos; centro de cuidado diurno; autonomía; bienestar

Texto completo:

PDF (Português (Portugal))

Referencias


-ATIENZA, F.L.; BALAGUER, I.; GARCÍA-MERITA M. (2003). Satisfaction With Life Scale: analysis of factorial invariance across sexes. Personality and Individual Differences, 35, 1255-1260.

-CALIXTO, E. A. P. & MARTINS, M. H. (2001). Os fatores biopsicossociais na satisfação com a vida de idosos institucionalizados. Revista Transdisciplinar de Gerontologia, 4 (2), 47-58.

-CIMIRRO, P. A.; RIGON,, R.; VIEIRA, M. M. da S.; CASTRO, H. M. C. T., & CREUTZBERG, M. (2011). Qualidade de vida de idosos dos centros-dia do Regado e São Tomé – Portugal. Enfermagem em Foco, 2(3). Recuperado a 13 de dezembro de 2012 em http://revista.portalcofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/134

-DEBERT, G.G. (1994). ‘ Pressupostos da reflexão antropológica sobre a velhice’. In: G.G. Debert (org.), Antropologia e Velhice, (p. 7-30). Campinas: IFCH/UNICAMP

-DEBERT, G.G. (1999). A reinvenção da Velhice: socialização e processos de reprivatização do envelhecimento. São Paulo: Editorial Edusp/FAPESP

-DIENER, E.; EMMONS, R.A.; LARSEN, R.J.; GRIFFIN, S. (1985). The Satisfaction With Life Scale. Journal of Personality Assessment, 49, 71-75.

-FONSECA, A.M. (2005). Desenvolvimento humano e envelhecimento. Lisboa: Climepsi.

-FREITAS, C. (2008). Efeitos de um programa de hidroginástica na aptidão física, na coordenação motora, na autoestima e na satisfação com a vida, em idosos de centros de dia. Recuperado a 13 de dezembro de 2012 - http://repositorioaberto.up.pt/handle/10216/13818

-HEIN, M. A., & ARAGAKI, S. S. (2012). Health and ageing: a study of Brazilian masters dissertations (2000-2009). Ciência & Saúde Coletiva, 17 (8), 2141–2150.

-JOIA L. C.; RUIZ, T. & DONALISIO, M. R. (2007). Condições associadas ao grau de satisfação com a vida entre a população de idosos. Revista de Saúde Pública, 41(1), 131-138.

-KIM, D-Y. (2004). The implicit life satisfaction measure. Asian Journal of Social Psychology, 7,236-262.

-MARTINS, E.C. (2013). Gerontologia & Gerontagogia e Animação em Idosos. Lisboa: Cáritas

-MOREIRA e SILVA, F. C. (2011). Qualidade de vida no processo de Envelhecimento e a integração nos Centros de dia. Recuperado a 13 de dezembro de 2012 em http://recil.grupolusofona.pt/bitstream/handle/10437/1660/TESE%20FINAL%20FLORA.pdf ?sequence=1

-OSÓRIO, A.; PINTO, F. (2007). As Pessoas Idosas – Contexto Social e Intervenção Educativa. Lisboa: Instituto Piaget.

-PASKULIN, L. M. G.; CÓRDOVA, F. P.; COSTA, F. M. & VIANNA, L. A. C. (2010). Perceção de pessoas idosas sobre qualidade de vida. Acta Paulista de Enfermagem, 23(1), 101-106.

-PAÚL, C. (1996). Psicologia dos idosos: envelhecimento em meio urbano. Braga: SHO

-PAÚL, C. (1997). Lá para o fim da vida: Idosos, família e Meio Ambiente. Coimbra: Almedina.

-PAÚL, C. (2005). ‘A construção de um modelo de envelhecimento humano’. In: C. Paúl e A. Fonseca (coord.), Envelhecer em Portugal, (p. 21-41). Lisboa: Climepsi.

-PAVOT W & DIENER E. (1993). Review of the Satisfaction With Life Scale. Psychological Assessment, 5: 164-72.

-PONS, D; ATIENZA, F.L.; BALAGUER, I.; GARCÍA-MERITA, M.L. (2002). Propiedades psicométricas de la Escala de Satisfacción con la Vida en personas de tercera edad. Revista Iberoamericana de Diagnóstico y Evaluación Psicológica, 13: 71-82, 2002.

-QUARESMA, M. L. (2006). Gerontologia e Gerontologia Social – Contributos para a análise de um percurso. Revista Kairós, 9 (1), 18-19.

-RESENDE, M. C.; BONES, V. M.; SOUZA, I. S., & GUIMARÃES, N. K. (2006). Rede de relaccões sociais e satisfaccão com a vida de adultos e idosos. Psicologia para América Latina, (5), 23–37.

-ROLO, L. C. de A. A. (2008). Sobrecarga e satisfação com a vida: a perceção dos cuidadores informais de idosos. (Master Thesis). Recuperado a 13 de dezembro de 2012 em https://ria.ua.pt/handle/10773/3303?mode=full&submit_simple=mostrar+registo+em+formato+completo

-SOUSA, L.; GALANTE, H., & FIGUEIREDO, D. (2003). Qualidade de vida e bem-estar dos idosos: um estudo exploratório na população portuguesa. Revista de Saúde Pública, 37 (3), 364–371.




DOI: https://doi.org/10.17060/ijodaep.2014.n1.v2.420 Statistics: Resumen : 741 views. PDF (Português (Portugal)) : 173 views.  

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Copyright (c) 2014 Ernesto Martins Candeias

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-SinObraDerivada 4.0 Internacional.

"International Journal of Developmental and Educational Psychology."

Revista Infad de Psicología.

ISSN digital: 2603-5987

ISSN impreso: 0214-9877