Crianças com défice de atenção e hiperactividade em contexto escolar

Anabela da Silva Coutinho

Resumen


O presente artigo intitulado “Crianças com défice de atenção e hiperactividade em contexto escolar” pretende informar e descrever este distúrbio comportamental que atinge cerca de 5,3% das crianças a nível mundial. Além disso, cerca de 40 a 50%, destas crianças apresentam baixo rendimento escolar, dificuldades a nível familiar e nas relações entre pares (Rodrigues, 2007). As dificuldades que revelam estão relacionadas essencialmente com a falta de atenção, a impulsividade e hiperactividade. Perturbam o grupo de trabalho em sala, têm dificuldades em persistir na tarefa e compreender as instruções do professor, (Ribeiro, 2008). Segundo o mesmo autor, demonstram fracas competências de estudo, nomeadamente em relação à organização de cadernos e material escolar. Na opinião de Poiares (2003) este distúrbio é bastante complexo e é composto por vários factores, sejam eles sociais, psicológicos, culturais, económicos, afectivos e políticos. Segundo Barkeley (2006), as formas de intervenção junto estas crianças são: a educação parental e dos professores acerca deste distúrbio, a farmacologia, a terapia familiar, a modificação comportamental na sala de aula, a educação especial, o exercício físico regular, e os grupos de suporte de pais.


Palabras clave


Défice de atenção; Hiperactividade; Impulsividade; Crianças; Escola

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))

Referencias


Araujo, M.; Silva (2003). “Comportamentos indicativos do transtorno de défice de atenção e hiperatividade em crianças: alerta para pais e professores”. Revista digital, Buenos Aires, v. 9, n. 62, 2003. Disponível em: http://www.efdeportes.

Barkley, R. A. (2002). “Transtorno de Défice de Atenção/Hiperactividade – THDA”. São Paulo: Artemed.

Barkley, R. A. (2006). Associated Cognitive, Developmental and Health Problems. In R. A. Barkley, “Attention-Deficit Hyperactivity Disorder - A Handbook for Diagnosis and Treatment” (pp. 122-183). New York: The Guildford Press.

Beckle, B. (2001). “Review of Research on teachers’ Knowledge and attitudes about attention-deficit hyperactivity disorder (ADHD)”. Australian Journal of Special Education, 25, pp. 67-85.

Beckle, B. (2004). “Hyperactivity Disorder (ADHD): A comparison between practicing teachers and undergraduate education student.” Journal of Attention Disorders, 7 (3), pp. 151-161.

Brophy, J. (1996). “Teaching Problem Students”. New York: Guilford Press.

Cordinhã AC, Boavida J. “A criança hiperactiva: diagnóstico, avaliação e intervenção”. Ver. Port. Clin.Geral. 2008;24:577-89.

Du Paul, G. J., Stoner, G. (2007). “TDHA nas Escolas - Estratégias de Avaliação e Intervenção”. São Paulo: M. Books do Brasil.

Encarnação, J. A. (2006). “Estudo das percepções de professores sobre a PHDA - Estudo piloto das percepções dos professores do 1º, 2º, 3ºCiclos e Secundário das Escolas de Santarém”. Lisboa: Manuscrito não publicado - Faculdade de Motricidade Humana - Universidade Técnica de Lisboa.

Infarmed.ProntuárioTerapêutico, online.Março2010.Available from: www.infarmed.pt/prontuari/index.php#.

Lopes, J. A. (2004). “A Hiperactividade”. Coimbra: Quarteto.

Parker, H. C. (2003). “Desordem por Défice de Atenção e Hiperactividade” - Um guia para pais, educadores e professores. Porto: Porto Editora.

Polanczyk G, de Lima MS, Horta BL, Biederman J, Rohde LA.The Worldwide Prevalence of ADHD: “A Systematic Review and Metaregression Analysis”. AmJ Psychiatry. 2007 June 1, 2007; 164(6):942-8.

Ribeiro, M. d. (2008). “Hiperactividade e Défice de Atenção em Contexto Escolar - Estudo exploratório das percepções dos professores do 1º ciclo”. Tese de Mestrado não publicada, apresentada à Faculdade de Motricidade Humana, Lisboa.

Rodrigues, A. (2008).” Intervenção Multimodal da Perturbação de Hiperactividade e Défice de Atenção”. Diversidades, 6 (21), pp. 9-12.

Rodrigues, A. N. (21 de Outubro de 2007). Hiperactividade e Défice de Atenção - Compreender e Intervir na Escola e na Família. Obtido em 21 de Outubro de 2007, de Cadim: http://www.cadim.net 131

Sciutto,M. J., Terjesen, M. D., & Frank, A. S. (2000).”Teacher’s knowledge and misperceptions of Attention-Deficit/Hiperactivity Disorder.Psychology in the Schools”, 32(2), pp. 115-122.

Wheeler, J., Carlson, C. L. (1994). “The social functioning of children with ADD with Hyperactivity”; A comparison of their peer relations and social deficits.




DOI: https://doi.org/10.17060/ijodaep.2014.n1.v2.464 Statistics: Resumen : 281 views. PDF (Português (Brasil)) : 308 views.  

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Copyright (c) 2014 Anabela da Silva Coutinho

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-SinObraDerivada 4.0 Internacional.

"International Journal of Developmental and Educational Psychology."

Revista Infad de Psicología.

ISSN digital: 2603-5987

ISSN impreso: 0214-9877