Estudo da vinculação e da empatia em adolescentes institucionalizados com acompanhamento psicológico no PIAC (plano integrado de apoio à comunidade) autoeficácia de diretores escolares: alguns aspectos que interferem em suas crenças

Daniela Couto Guerreiro-Casanova, Roberta Gurgel Azzi, Miguel Henrique Russo

Resumen


Este estudo refere-se à análise da fala de duas diretoras de escola sobre suas percepções relativas aos aspectos que podem ter potencializado oscilações em suas crenças de autoeficácia para exercer a liderança e promover a valorização da escola entre os alunos e motivar os docentes. Foi realizada por meio de duas fases distintas, utilizando-se como instrumentos o Questionário do Gestor Escolar e perguntas específicas sobre as barreiras e as facilidades que podiam ter provocado oscilações nas percepções de autoeficácia. Verificou-se que a ausência de cumprimento de normas, a insegurança, os baixos resultados obtidos em avaliações externas e o contexto político são tidos como aspectos de contextos que se colocam como barreiras à crença de autoeficácia. Já, a vontade de conseguir melhores resultados, o apoio dos funcionários e a valorização docente foram apontadas como aspectos que parecem atuar como facilitadores. Os resultados foram discutidos de modo a buscar a integração entre a construção da autoeficácia de diretores escolares, as condições sociais em que as escolas estão inseridas e as políticas educacionais atualmente em vigor na rede pública estadual de São Paulo, Brasil. Estes sugerem que as políticas educacionais que permeiam o trabalho escolar são mais importantes do que as condições sociais das quais os estudantes são oriundos para se promover a crença de eficácia de gestores escolares.


Palabras clave


Autoeficácia; liderança escolar; motivação

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))

Referencias


Bandura, A. (1997). Self-efficacy, the exercise of control. New York: Freeman and Company.

Bandura, A. (2000). Cultivate self-efficacy for personal and organizational effectiveness. In: LOCKE, E. A. (Ed.) Handbook of principles of organization behavior. (pp. 120-135) Oxford, UK: Blackwell.

Eginli, I. (2009). Principal Leadership and teacher commitment to the profession: the mediating role of collective efficacy and teacher efficacy. (Dissertação de Mestrado, George Mason University). Disponível em: . Acesso em: 23 mar. 2011.

Fisher, Y. (2011). The sense of self-efficacy of aspiring principals: exploration in a dynamic concept. Social Psychology of Education: An International Journal, 14(1), 93-117.

Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados – SEADE. (2012). Índice Paulista de Vulnerabilidade Social. Disponível em: Acesso em: 10 nov. 2012.

Guerreiro-Casanova, D.C. (2013). Crenças de Eficácia de gestores escolares e de docentes no ensino médio paulista. 177p. (Tese de doutorado, Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas) Campinas.

Martins, P. C. N. (2012). O professor coordenador e a percepção que tem da sua função no contexto do programa “São Paulo faz Escola”. 103p. (Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Nove de Julho), São Paulo.

Mccormick, M. J. (2001). Self-efficacy and leadership effectiveness: applying social cognitive theory to leadership. The Journal of Leadership studies, 8 (1), 22-33.

Mccullers, J. F. & Bozeman, W. (2010). Principal Self-efficacy: The effects of No Child Left Behind and Florida school grades. NASSP Bulletin, 94 (1), 53-74.

Pajares, F. & Olaz, F. (2008). Teoria social cognitiva e autoeficácia: uma visão geral. In: BANDURA, A; AZZI, R. G.; POLYDORO, S. (Orgs.) Teoria Social Cognitiva. Trad. Ronaldo Cataldo Costa.(pp.97-114). Porto Alegre: Artmed.

Paro, V. H. (2011). Crítica da estrutura da escola. São Paulo: Cortez.

Ravitch, D. (2011). The death and life of the great american school system: how testing and choice are undermining education. New York: Basic Books.

Smith, W. & Guarino, A. (2006). Effective teaching and learning environments and principal self-efficacy. Journal of research for educational leaders, 3(2), 4-23.

Sousa, S. Z. & Oliveira, R. P. (2010). Sistemas estaduais de avaliação: uso dos resultados, implicações e tendências. Cadernos de Pesquisa, 40 (141), 793-822.

Tschannen-Moran, M. & Gareis, C. (2004). Principals’ sense of efficacy: Assessing a promising construct. Journal of Educational Administration, 42, 573-585.

Tschannen-Moran, M. & Gareis, C. R. (2007). Cultivating Principals’ Self-Efficacy: Supports that Matter. Journal of School Leadership, 17 (1), 89-114.

Zambo, R. & Zambo, D. (2008). The Impact of Professional Development in Mathematics on Teachers’ Individual and Collective Efficacy: The Stigma of Underperforming. Teacher Education Quarterly, 35(1), 159-168.




DOI: https://doi.org/10.17060/ijodaep.2014.n1.v2.471 Statistics: Resumen : 183 views. PDF (Português (Brasil)) : 137 views.  

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Copyright (c) 2014 Daniela Couto Guerreiro-Casanova, Roberta Gurgel Azzi, Miguel Henrique Russo

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-SinObraDerivada 4.0 Internacional.

"International Journal of Developmental and Educational Psychology."

Revista Infad de Psicología.

ISSN digital: 2603-5987

ISSN impreso: 0214-9877