Pedagogia da infância: aprendendo com bruner

Cristina Mesquita

Resumen


A literatura científica tem revelado que as abordagens pedagógicas participativas que garantem os direitos da criança, reconhecem a sua competência e escutam a sua voz têm maior impacto na aprendizagem e na sua vida futura (Eurydice, 2009; OCDE, 2012; Oliveira-Formosinho, 2009; Siraj-Blatchford, Sylva, Muttock, Gilden & Bell, 2002). A este propósito, o relatório Starting Strong III (OCDE, 2012) realça que as crianças aprendem melhor: i) em abordagens pedagógicas integradoras, onde as aprendizagens cognitivas e sociais são entendidas como complementares e igualmente importantes; ii) quando estão ativas e envolvidas; iii) quando as interações são frequentes e significativas; iv) quando o currículo se baseia nas aprendizagens anteriores. A complexidade dos processos de participação reclama uma visão holística da práxis. As preocupações com a operacionalização de uma práxis participativa, levaram-nos a dialogar com as propostas Bruner (1966, 1984a; 1991a; 1991b; 1997; 1998; 2000; 2004; 2010; Bruner & Postman, 1949; Wood, Bruner, & Ross, 1976) cujos princípios oferecem importantes contributos para a pedagogia da infância. A linha pedagógica participativa faz emergir a visão integradora da práxis pedagógica, invocando a complexidade dos contextos, onde as crenças, os saberes, a teoria e a prática se realizam em combinações múltiplas. Este modo de fazer pedagogia valoriza a atividade e a competência da criança, centrando os objetivos no envolvimento que decorre das experiências significativas. A pedagogia cultural de Bruner constitui-se como um importante referencial para a implementação de uma praxis participativa em contexto escolar. Com este estudo pretendemos fazer a leitura das conceções de Bruner, tendo em conta as implicações da sua teorização nas dimensões da pedagogia da infância enunciadas por Oliveira-Formosinho (2007), espaço e materiais, tempo, interações, observação, planificação e avaliação.


Palabras clave


Educação de infância; pedagogia participativa; pedagogia cultural; bruner

Texto completo:

PDF

Referencias


Bruner, J. (1966). The growth of mind. Ocasional Paper, nº 8. Washington D.C.: Educational Services, Inc., Cambridge, Mass, National Science Foundation.

Bruner, J. (1984a). Acción, pensamiento y lenguaje. Madrid: Alianza Psicología.

Bruner, J. (1984b). El linguage de la educación. In J. Bruner, Acción, Pensamiento e lenguaje (pp. 197-208). Madrid: Alianza Psicología.

Bruner, J. (1984c). El desarrollo de los processos de representación. In J. Bruner, Acción, pensamiento y lenguage (pp. 119-128). Madrid: Alianza Psicología.

Bruner, J. (1984d). La inmadurez: su naturaleza y usos. In J. Bruner, Acción, Pensamiento y lenguaje (pp. 45-74). Madrid: Alianza Psicología.

Bruner, J. (1984e). La intencion en la estrutura de la acción y la interacion. In J. Bruner, Acción, Pensamiento e Lenguaje (pp. 101-115). Madrid: Alianza Psicología.

Bruner, J. (1984f). Juego, pensamiento y lenguaje. In J. Bruner, Acción, pensamiento y lenguage (pp. 211-219). Madrid: Alianza Psicología.

Bruner, J. (1984g). Origenes de las estrategias para la resolución de problemas. In J. Bruner, Acción, Pensamiento y lenguage (pp. 129-147). Madrid: Alianza.

Bruner, J. (1991a). The Narrative Construction of Reality. Critical Inquiry, 18, 1-20.

Bruner, J. (1991b). Self-Making and World-Making. Journal of Aesthetic Education, 25: 1, 67-78.

Bruner, J. (1997). Actos de Significado: para uma psicologia cultural. Lisboa: Edições 70.

Bruner, J. (1998). O Processo da Educação. Lisboa: Edições 70.

Bruner, J. (2000). Cultura da Educação. Lisboa: Edições 70.

Bruner, J. (2004). Life as Narrative. Social Research, 71: 3, 691-710.

Bruner, J. (2010). Realidad mental y mundos posibles. Bracelona: gedisa.

Bruner, J. S. & Postman, L. (1949). On the Perception of Incongruity: A Paradigm. Journal of Personality, 18, 206-223.

Eurydice (2009). Early Childhood Education and Care in Europe: Tackling Social and Cultural Inequalities. UE: Eurydice.

Kishimoto, T. M. (2007). Brincadeiras e Narrativas infantis: contribuições de J. Bruner para a pedagogia da Infância. In J. Oliveira-Formosinh, T. M. Kishimoto & M. A. Pinazza, Pedagogia(s) da Infância: dialogando com o passado, construindo o futuro (pp. 249-275). Porto Alegre: Artmed.

OCDE (2012). Starting Strong III. Paris: OCDE Publications.

Oliveira-Formosinho, J. (2007). Pedagogia da Infância: Reconstruído uma Práxis de Participação. In J. Oliveira-Formosinho, D. Lino & S. Niza, Modelos Curriculares para a Educação de Infância: Construindo uma práxis de participação (pp. 13-42). Porto: Porto Editora.

Oliveira-Formosinho, J. (2009). Togetherness and play under the same roof: Children’s perceptions about families. European Early Childhood Education Research Journal, 17(2), 233-248.

Siraj-Blatchford, I., Sylva, K., Muttock, S., Gilden, R. & Bell, D. (2002). Researching Effective Pedagogy in the Early Years. London: Department of education and skills.

Smidt, S. (2011). Introducing Bruner: a guide for practitioners and students in early years education. London: Routledge.

Vygotsky, L. (1991). A Formação Social da Mente. São Paulo : Martins Fontes.

Wood, D., Bruner, J. & Ross, G. (1976). The role of tutoring in problem solving. Journal of Child Psychology and Psychiatry, vol 17, 86-100.




DOI: https://doi.org/10.17060/ijodaep.2014.n1.v3.480 Statistics: Resumen : 1060 views. PDF : 285 views.  

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Copyright (c) 2016 Cristina Mesquita

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-SinObraDerivada 4.0 Internacional.

"International Journal of Developmental and Educational Psychology."

Revista Infad de Psicología.

ISSN digital: 2603-5987

ISSN impreso: 0214-9877